Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008

Aos 100 anos, Manoel de Oliveira pelo olhar dos outros... I

 

 

Agustina Bessa-Luís:
Eu aparento Manoel de Oliveira àqueles poetas saudosos que tivemos: Bernardim foi um deles, outro o cavaleiro Francisco Manuel de Melo. Vou dizer porquê. Porque em todos há mais uma determinação de fazer obra sua, do que voz do mundo. E fazer das histórias fatais, peregrinas fantasias.
 
João Mário Grilo:
Creio que o Oliveira está sempre a olhar para a frente e, consequentemente, nos faz olhar a nós na mesma direcção, como acontecia com o Eisenstein ou, na poesia com Baudelaire.
 
José-Augusto França:
Quinto Império ou Non ou a Vã Glória de Mandar, Portugal passa, em seus mitos, desgraças e inquietações, em obras que o definem, ou nos definem a nós, incertos portugueses buscando utopias – nos Portos da nossa infância…
 
Rodrigues da Silva:
Oliveira, esteticamente, nunca se satisfez, nem nunca se repetiu; demonstrou sempre ser um amante da eterna pesquisa, da eterna experiência, jamais adoptando receitas, o que faz dele um criador anti-académico por excelência.
 
in Jornal de Letras, Artes e Ideias
[3-16 Dezembro 2008]

 

publicado por amaroporto2 às 08:54

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.links

.as minhas fotos

.Agosto 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. A HISTÓRIA E O VALOR DO C...

. ÉDEN TEATRO

. "A Brasileira" nos Anos 5...

. Betão e Poluição

. O burburinho de mil vidas

. PORTO

. No 170º aniversário do na...

. Porto Sentido

. O Porto há cem anos 1

. A Cidade nos Livros

. Preservar a memória colec...

. Coliseu do Porto tem 70 a...

. A Publicidade em 1959

. Júlio Resende: um portuen...

. Tripas à moda do Porto

. Paços do Concelho da Cida...

. S. JOÃO no PORTO de outro...

. Memórias da cidade

. Porto meu

. A evolução de Darwin

. Fim das Comemorações da R...

. Não me obriguem!

. ALMEIDA GARRETT

. 11 de Janeiro de 2011

. Avenida da Boavista

. CORREIO DA NOITE

. Pelos Caminhos de Antero ...

. Fernando Pessoa

. As regras da sensatez

. Da minha janela...

.arquivos

. Agosto 2016

. Novembro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds