Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Amar o PORTO +

"Não há futuro sem memória. Sem enraizamento e sem memória, os povos, como os homens, são apenas náufragos." Manuel António Pina

Amar o PORTO +

"Não há futuro sem memória. Sem enraizamento e sem memória, os povos, como os homens, são apenas náufragos." Manuel António Pina

OS ALMADAS

02.10.07, amaroporto2

Quinta-feira, 31 de Maio de 2007

 

      

A Capela das Almas (Rua de Santa Catarina)

 

João de Almada (João de Almada e Melo), militar da confiança do Marquês de Pombal, de quem era parente, foi Governador do Porto, Administrador do Erário e Inspector das Obras de Interesse Público, deu início (1761) à urbanização geométrica de inspiração pombalina do velho burgo portuense, abrindo a Rua de Santa Catarina. Em 1762, criou o primeiro teatro lírico e a primeira escola de ensino superior (a Escola Náutica do Porto, precursora da Escola Politécnica) que se fixaram na Cidade Invicta. Morreu no Porto, em 1786.
     
Francisco de Almada (Francisco de Almada e Mendonça), formado em Leis pela Universidade de Coimbra, foi nomeado corregedor e provedor da Comarca do Porto. Entre outros cargos, foi Inspector das Obras Públicas do Norte. Reparou e rectificou quase todas as ruas da Cidade Invicta, melhorou todas as suas entradas, construiu praças e ergueu edifícios grandiosos, abrindo para o Porto uma era urbanística. Nascido nos Olivais (Lisboa) em 1757, morreu no Porto em 1804. O seu mausoléu, no Cemitério do Prado do Repouso, encontra-se encimado por um busto da autoria de Soares dos Reis.