Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Amar o PORTO +

"Não há futuro sem memória. Sem enraizamento e sem memória, os povos, como os homens, são apenas náufragos." Manuel António Pina

Amar o PORTO +

"Não há futuro sem memória. Sem enraizamento e sem memória, os povos, como os homens, são apenas náufragos." Manuel António Pina

A COOPERATIVA DOS PEDREIROS

09.10.07, amaroporto2
Quinta-feira, 23 de Agosto de 2007
 
 
Um edifício da Rua Nossa Senhora de Fátima, já próximo da Rotunda da Boavista, à direita de quem desce, chamou a minha atenção por ter as palavras TRABALHO e REFORMA com uma estátua masculina entre elas, no cimo. Resolvi fotografá-la e descobri, então, que era propriedade da SCPOPP e tinha sido construída no ano de 1953.
Visitei as gavetas da minha memória e, à semelhança do Inspector Maigret (um dos meus preferidos), deduzi que aquela sigla deveria significar Sociedade Cooperativa de Protecção aos Operários Pedreiros do Porto, que associei à conhecida Cooperativa dos Pedreiros.
Cheguei a casa e a Internet esclareceu-me. De facto, trata-se dessa Cooperativa embora o nome, por extenso, seja: Sociedade Cooperativa de Produção dos Operários Pedreiros Portuenses.
 
 
 
Vejam o seu historial:
 
Em 1914, 10 operários especializados, que trabalhavam na construção do Edifício da Estação de S. Bento, na cidade do Porto, resolveram fundar a Cooperativa dos Pedreiros, pagando cada um apenas 20 escudos. A sede foi instalada na Travessa das Almas,36- 1º , no Porto, claro.
Nesse mesmo ano, pela alta qualidade profissional dos seus fundadores, foi encarregada da construção do Monumento à Guerra Peninsular, erigido na Praça Mouzinho de Albuquerque, mais conhecida por Rotunda da Boavista. Por falta de verba, a Câmara Municipal do Porto suspende a construção mas, 34 anos mais tarde (1948), volta a entregar à Cooperativa dos Pedreiros a sua conclusão.
Inicia, no mesmo ano, a construção da sede da Cooperativa do Povo Portuense.
 
 
 
 
Em 1924, a câmara Municipal do Porto encarrega a Cooperativa dos Pedreiros da construção dos Paços do Concelho. Mas passados alguns anos, mais uma vez por falta de verbas, decidiu interromper o prosseguimento da construção. Então, aconteceu uma coisa que, nos dias de hoje, acharíamos extraordinária: a Cooperativa dos Pedreiros comprometeu-se a prosseguir a referida construção e a autofinanciá-la até a Câmara possuir a verba necessária, o que veio a acontecer no ano seguinte. 
Em 1930,  começa a construção de uma nova Sede Social, na Rua D. João IV,  onde  começaram a funcionar cantina, garagem, posto médico e de enfermagem.
Em reconhecimento pelo gesto tido com a C.M.P., e dado que na época existia uma elevada taxa de desemprego, a Cooperativa dos Pedreiros foi louvada  pelo então Ministro das Obras Públicas e Comunicações, Eng.º Duarte Pacheco, pela sua acção social, por portaria do Diário do Governo nº. 31-2ª Série, de 7 de Fevereiro de1933. 
A indústria dos Granitos Polidos foi introduzida em Portugal pela Cooperativa, em 1937. A laboração iniciou-se nas novas oficinas da rua D. João IV, no Porto. Em 1958,  a Cooperativa  é distinguida com a Medalha de Ouro e um Diploma de Honra na Exposição Universal de Bruxelas, pela apresentação em exposição de uma Coluna oca em granito totalmente polida.
Em 1953,  a Cooperativa inaugura o 1º  edifício a que dá o nome de "Trabalho e Reforma" cujo rendimento é dedicado às pensões dos seus cooperantes e suas viúvas (O tal que despertou a minha curiosidade.).
Em1969, é inaugurado um novo edifício com 13 andares a que se deu o nome de Miradouro, cujo rendimento se destina aos pensionistas cooperantes e suas viúvas. Nos últimos pisos do edifício é instalada uma unidade hoteleira .No mesmo ano faleceu o seu Gerente Honorário José Moreira da Silva.  
Por iniciativa da Câmara Municipal do Porto, o largo em frente à sua Sede Social passa a chamar-se Largo José Moreira da Silva e é ali  colocado, em sua homenagem, um monumento e o seu busto em bronze (1971).
A Cooperativa é distinguida, em 1972, com a Medalha de Prata da Direcção Geral de Minas e Geologia, pelos serviços prestados à indústria de rochas naturais.
Em 1989, a Cooperativa faz 75 anos e é distinguida pela Câmara Municipal do Porto com a Medalha de Mérito (Grau Ouro) pelos serviços prestados à Cidade. 
No mesmo ano são inaugurados  a Escola  Profissional de Estudos Económicos e Sociais  José Moreira da Silva e o Museu da Cooperativa.
É ainda atribuída, a título póstumo, a  José Moreira da Silva, a Comenda da Ordem de Mérito Industrial.
A Cooperativa dos Pedreiros  é agraciada, em 1991, com o título de Membro Honorário da Ordem de Mérito, por alvará, de 31 de Outubro, da Presidência da República.
Em1991, inaugura o Instituto de Estudos Sociais Joaquim Oliveira Guedes. 
A Cooperativa inaugura  as suas novas instalações (fábrica) em Ponte de Moreira - Leça do Balio- Matosinhos, em 1997, onde além, de uma moderna unidade de corte de blocos, polimento e acabamento, tem também um grande parque de blocos e placas serradas.
Podemos dizer que “A Cooperativa dos Pedreiros” faz parte da História da cidade do Porto por mérito próprio. Construiu um vasto património que para garantir rendimentos  destinados a um fundo social, que é aplicado na ajuda aos seus Cooperantes e suas viúvas na velhice, como complemento das reformas, e obras públicas e privadas que são o orgulho da cidade e dos Portuenses. Para além dos que já falámos, o Monumento ao Império (na Praça do Império), a Igreja de Nossa Senhora da Conceição ( no Marquês), a Igreja de Santo António (nas Antas), o Palácio do Comércio (na Rua de Sá da Bandeira) e muitos outros.
Os seus trabalhos em  granito, as suas colunas ocas e cantarias não estão só na cidade do Porto mas espalhadas pelos quatro cantos do mundo.
 
 
**********************************
N.B. Nesta época em que o próprio Estado procura destruir o sistema de segurança social e de saúde, é bom lembrar o papel solidário desta Instituição de que se orgulha a Cidade do Porto.